Reduzindo o uso de shampoo: cabelos menos ressecados!

Olá, como vocês estão? Hoje vim falar de um item que, para mim, é vilão dos cabelos cacheados e crespos (de outros tipos também): o shampoo. Muitas pessoas já estão familiarizadas com as técnicas de low e no poo que mostrei aqui, aqui e em vários outros posts do blog. Porém, eu sei que nem todos aderiram à técnica ainda ou ainda estão pensando em aderir. O post de hoje vai ajudar muito a entender e reduzir os danos do shampoo aos cabelos.

Em primeiro lugar, é preciso entender que a maioria dos shampoo possui sulfato, que é tipo um detergente que limpa não só as impurezas acumuladas no cabelo, mas também a oleosidade natural do couro cabeludo, por causa da agressividade desse componente. Alguns shampoo são mais potentes nessa ação de limpeza, outros menos. O resultado é o ressecamento dos fios.

Em segundo lugar, cacheadas e crespas devem entender que a estrutura do nosso fio dificulta um pouco a hidratação. Naturalmente temos cabelos mais ressecados que sofrem bastante com quantidade de shampoo utilizada. Por outro lado, cabelos oleosos também sofrem consequências, já que quanto mais retirada a oleosidade natural, mais o organismo entende que precisa repor, produzindo ainda mais óleo.

Caso você ainda não queira aderir ao low ou no poo, veja algumas dicas para reduzir o uso de shampoo no seu dia a dia.:

1- Use shampoo APENAS na raiz dos cabelos: parece uma dica muito óbvia, mas que muitas pessoas ainda não seguem. No couro cabeludo é que se concentram as impurezas que precisam ser eliminadas. O comprimento do cabelo é mais seco e sofrem mais ao receber o shampoo. A água com shampoo que escorre é suficiente para limpar as pontas do cabelo.

 

download (5)

 

2- Massagear bem o couro cabeludo: invista um pouco mais de tempo massageando suavemente o couro cabeludo com a ponta dos dedos. A lavagem será mais eficiente e você não precisará utilizar maiores quantidades de shampoo.

3- Misturar água ao shampoo: num potinho ou até na sua mão, coloque uma quantidade menor de shampoo do que você costuma usar e acrescente água. Misture e aplique no couro cabeludo. O produto vai se espalhar de forma mais fácil, fazendo a limpeza com uma menor quantidade de shampoo.

 

ScreenHunter_06-Aug.-13-12.51 (2)

 

4- Adicionar condicionador ou fazer co-wash: assim como a água, adicionar condicionador para diluir o shampoo também é uma boa alternativa para reduzir a quantidade utilizada de shampoo, além de possuir substâncias hidratantes. Porém, precisa ser um condicionador livre de parafinas, silicones, petrolatos, ou seja, um shampoo liberado para co-wash, pois estas substâncias não podem ser aplicadas na raiz do cabelo. Experimente também substituir uma de suas lavagens pelo co-wash. Para saber como fazer, clique aqui.

 

co-wash-fb

 

5- Adicionar mel: é bastante comum hidratações caseiras com mel, ensinei uma aqui. Mas ele também pode ser acrescentado no shampoo. O mel natural tem propriedade antibacterianas, além de ser hidrante, ressecando menos os fios.

 

beneficios-do-mel-colher

 

6- Umectação e Pré-Poo: a umectação consiste em envolver todo o cabelo com óleo vegetal. Fazê-la antes de lavar protege o cabelo da agressividade do shampoo. O Pré-poo são diferentes tratamentos também utilizados antes do shampoo. Podem ser máscaras, condicionadores, óleos ou receitas caseiras. São aplicados 15 ou 20 minutos antes, depois prossegue a lavagem normalmente.

 

oleo-no-cabelo

 

Siga essas dicas e percebe o quanto vai reduzir o ressecamento do seu cabelo. As hidratações também serão mais eficientes, além de necessitar menores quantidades de produtos 🙂

Alguma dúvida? Conte aí nos comentários!

Até mais!

patty

Dicionário dos Cachos – Parte 2

Olá, migas, como vão? Tudo em cima?

O post de hoje é mais um da nossa série que desvenda os nomes mais aparentemente estranhos que as cacheadas costumam usar quando estão falando de cabelo. Essas postagens vão servir para você dar aquela espiadinha quando se deparar com algum termo que nunca viu antes ou que não sabe muito bem o que significa.

Essa é a segunda publicação, se você ainda não viu a parte 1, é só clicar aqui.

Abacaxi: o abacaxi é uma espécie de coque, no alto da cabeça, que serve para ajeitar o cabelo de uma maneira que os cachos não amassem. Essa técnica ajuda a ter um bom day after porque o cabelo costuma continuar definido no dia seguinte. Algumas meninas usam lenço para prender, outras fazem uma amarração frouxa com algum tipo de prendendor. Quando você fizer, vai ver que ele lembra, e muito, um abacaxi.

Leave in: leave in é um creme bem levinho, sem enxague, que deve ser usado após a lavagem, e serve para “colocar os fios no lugar”. Ele ajuda na redução do frizz e na definição do cabelo, deixando-o hidratado e brilhoso. Existem diversos tipos no mercado e para todos os tipos de cabelo.

Pente garfo: o pente garfo é exatamente parecido com o nome que ele tem. Ele não é recomendado para desembaraçar o cabelo, mas sim para dar volume, partindo da raiz. Os pentes com dentes mais espaçados são indicados para cachos mais definidos, já os mais juntinhos são ideais para cabelo crespo (tipo 4).

Twister: o twister é um tipo de texturização em que o cabelo é dividido em mechas, e essas mechas são subdividas em duas partes. Essas partes são enroladas uma na outra formando algo parecido com uma cordinha. O resultado são cachos definidos e maleáveis.

Sulfato: os sulfatos estão presentes na maioria dos shampoos e são os responsáveis por limpar muito bem limpo os cabelos. Porém, para uma limpeza tão profunda eles retiram muitos elementos importantes dos fios, como a hidratação, os nutrientes e a gordura natural do cabelo, deixando-o ressecado e danificado.

 

E aí? Tirou mais alguma dúvida da caixola? Não se esqueça de comentar aqui ou nas redes sociais do blog caso surja mais algum termo estranho e que ainda não postamos por aqui.

 

Beijinhos,

Marca Sabryna

Como começar o Low Poo? Que produtos usar?

Oi, gente! Desde que fiz o post sobre Low e No Poo, percebi que muitas pessoas continuam com dúvidas. Então, decidi fazer mais alguns posts tentando esclarecer as principais. Se você não leu o primeiro post, pare e leia para continuar. Clique aqui.

Nesse post, vamos falar de como começar a técnica. Não sou expert no assunto, mas me baseio na minha experiência que tem dado certo. Acredito (minha opinião!) que é preferível começar pelo Low Poo, porque talvez você ainda vai poder aproveitar alguns produtos que você tem e vai passar por menos mudanças na sua rotina.

Também é possível fazer uma migração gradual para técnica. Eu, por exemplo, primeiro parei de usar produtos com petrolatos (parafina líquida, óleo mineral, etc) antes de aderir totalmente à técnica.

Então, o primeiro passo é checar seus produtos, cremes, máscaras, finalizadores e manter somente os que não possuem essas substâncias. se você quiser ir mais devagar e preferir manter ainda algum produto proibido, lembre-se de lavar com shampoo com sulfato algumas vezes. Procure doar os produtos que você tem que não são permitidos, tente trocar com alguém. Garanto que vale a pena.

Segue novamente a tabela completa, a que considero mais importante para as duas técnicas:

 

Slide1

 

Daí, antes de começar de fato a técnica, você precisa lavar com shampoo COM SULFATO. Isso mesmo. O tempo que você passou usando petrolatos fez com que eles se acumulassem no seu cabelo e somente o sulfato pode retirar. Sugiro lavar pelo menos 2 vezes para garantir que cabelo estará totalmente livre dessas substâncias. Lave com sulfato, hidrate e finalize com os produtos liberados, conforme expliquei acima.

Muitas meninas comentam sobre problemas com caspa no começo da técnica. Isso pode ser causado justamente pelo acúmulo dessas substâncias no couro cabeludo. Se você já começou o low e está com esse problema, use shampoo com sulfato e depois recomece.

Depois disso, você já pode abandonar o sulfato, que é um componente presente na maioria dos shampoos. Esses são fáceis de identificar nas composições, são escritos com sulfate ou sulfonete.

 

Slide2

 

E agora, como lavar o cabelo? Você vai procurar shampoos SEM SULFATO (conforme tabela acima). Deixo aqui algumas sugestões, mas existem outros no mercado.

 

FotorCreated

 

1- Shampoo Phytoervas Coco e Algodão (resenha aqui).

2- Shampoo Argan Oil Lola Cosmetics.

3- Shampoo Creoula Lola Cosmetics.

4- Shampoo Bio Extratus Pós Progressiva.

5- Bio Extratus Low Poo.

6- Novex Low Poo.

7- Shampoo Johnson’s Baby.

8- Shampoo Dove Baby.

9- Deva Curl Low Poo.

 

Você pode alternar a lavagens também seguindo a técnica do co-wash que eu expliquei neste post aqui. Nele você encontra também sugestões de produtos. Basicamente, é lavar com condicionador, mas não pode ser qualquer um. Recomendo bastante o co-wash por ser menos agressivo e mais hidratante.

Aproveito para deixar sugestões de máscaras para Low Poo. Algumas são para No também, mas se seu objetivo é iniciar o Low, você pode utilizar qualquer uma destas:

 

FotorCreated

 

1- Morte Súbita Lola Cosmetics (resenha aqui).

2- Dream Cream Lola Cosmetics.

3- Head & Shoulders Hidratação.

4- Monange Hidratação Intensa.

5- Pantene (todos os cremes de hidratação são liberados)

6- Bio Extratus Banho de Creme.

7- Natura Ekos Castanha Hidratação Intensa.

 

E sugestões de creme de pentear/finalizadores:

 

FotorCreated

 

1- Creme de Pentear Monange Hidratação Intensiva.

2- Creoula Lola Cosmetics.

3- Milagre Lola Cosmetics.

4- Pantene Cachos Definidos.

5- Casulão Umectante Capialar.

6- Tô de Cacho Salon Line.

7- Elséve Óleo Extraordinário.

 

ATENÇÃO! São SUGESTÕES! Existem muitos outros produtos e dentro mesmo destas marcas que citei existem outras opções. Habituando-se à técnica, a gente vai encontrando outras possibilidades, aqui é só um norte 🙂

No Low Poo, você ainda pode fazer uso dos silicones insolúveis. Depois de algum tempo, algumas pessoas sentem que os silicones também pesam no cabelo e migram para o No Poo, onde somente os silicones solúveis em água são permitidos. No primeiro post tem as tabelas completas de substâncias para cada técnica.

De benefícios do Low Poo, para mim, notei melhoria no problema de caspa, mais hidratação e definição do cabelo. Algumas pessoas sentem também crescimento mais rápido, o que já não posso afirmar, porque meu cabelo sempre cresceu bem.

Minhas outras sugestões sobre a técnica são: conheça ou pelo menos tenha uma noção das tabelas, porque nem sempre você terá alguém para perguntar e as pessoas estão sujeitas ao erro também. Você pode deixar salvas no celular para facilitar.

Tenha paciência, parece muito complicado, mas logo se transformá em algo rotineiro e você vai notar mudanças no seu cabelo. LEMBRANDO: qualquer tipo de cabelo pode seguir essas técnicas, não só cacheados.

Qualquer dúvida, perguntem. Isso nos ajuda muito a direcionar os próximos posts!

Até mais 🙂

patty

Resenha: Shampoo Phytoervas Coco e Algodão

Oi, gente! Hoje trago a resenha de um shampoo sem sulfato. Pra quem não sabe, eu sigo a técnica do Low Poo  e assim que aderi a essa técnica, tive que procurar um shampoo sem sulfato e esse da Phytoervas foi o primeiro que passei a usar.

Os shampoos sem sulfato são encontrados mais facilmente nas lojas de cosméticos e, ainda assim, em algumas não encontramos muitas opções. Dessa linha da Phytoervas, encontrei vários e escolhi o de Coco e Algodão pelo cheirinho e pela promessa de hidratação intensa.

 

edit

 

O QUE DIZ A MARCA?

O Shampoo Phytoervas Hidratação Intensa possui uma fórmula avançada enriquecida com coco e algodão, que limpa e devolve a hidratação perdida, deixando os cabelos limpos, renovados, hidratados e com brilho.

COMPOSIÇÃO

edit 2

 

O QUE ACHEI?

Antes de começar o Low Poo, pensava que o shampoo sem sulfato não fazia uma boa limpeza ou nem fazia espuma, mas esse faz uma espuma considerável e sinto a limpeza, até pela consistência perolada e um pouco transparente dele. Por causa disso, eu sinto que ele ainda resseca um pouco, menos que um shampoo normal, mas não senti que ele cumpre a hidratação intensa que promete.

 

edit

 

Meu cabelo melhorou muito depois que passei a evitar shampoo e mesmo o sem sulfato, tenho usado somente uma vez na semana, os demais dias faço co-wash (lavar o cabelo com condicionador sem silicones e petrolatos), que tem sido maravilhoso pro meu cabelo.

Mesmo assim, considero que é um produto que vale a pena, já que paguei por volta de R$ 14,00 e tem durado meses. Uso pouco e ele rende bastante. O cheirinho eu adoro, se você gosta de cheiro de coco, também vai adorar. Mesmo assim, acho que não vou comprar de novo, pois quero experimentar outros shampoos e encontrar algum que resseque menos.

Um ponto legal é que a Phytoervas segue uma política de cosmética integral, ou seja, usa ativos da natureza na sua forma mais pura, sem adição de química. Tem a fórmula livre de ingredientes de origem animal e não testa os produtos em bichinhos. Ótima iniciativa da marca 🙂

 

edit 3

 

O que acharam? Se já usaram, me contem a experiência de vocês! Beijos e até a próxima.

 

O que é LOW e NO POO? O que preciso saber?

Oi, gente! Nesse post vou tentar explicar um pouco sobre as técnicas Low e No Poo. Sei que muita gente na internet já explicou, mas sei que muitas pessoas têm dúvida ainda. E como eu sigo o Low Poo e vou falar diversas vezes aqui no blog, decidi dar uma explicação antes (gostaria de fazer isso em vídeo, mas ainda não foi possível; EM BREVE TEREMOS VÍDEOS).

A origem dessas técnicas vem de quando algumas pessoas começaram questionar o uso de cosméticos e buscavam alternativas mais naturais para cuidar do cabelo, usando óleos vegetais, bicarbonato de sódio e outros produtos.

Mas a técnica como conhecemos hoje é mais semelhante ao que Lorraine Massey escreveu no livro Curly Girl (aceito de presente!), onde ela dá diversas dicas valiosas de cuidado para o cabelo cacheado, incluindo reduzir o uso do shampoo, em que o principal componente é o SULFATO.

curly-girl-the-handbook

 

Mas por que evitar o sulfato?

O sulfato é um componente que tem função de limpar o cabelo. Ele retira substâncias como silicones, óleos minerais, parafina e outros petrolatos, mas também remove a oleosidade natural do cabelo e toda hidratação que fazemos. Assim, o cabelo vai sempre precisar de hidratação, já que o sulfato retira boa parte.

Estes silicones, petrolatos, óleos minerais e parafina líquida, presentes principalmente em condicionadores, cremes e finalizadores, são componentes que formam como uma “capa” ao redor do fio, mantendo a hidratação nele, porém impedindo que o fio receba mais componentes hidratantes. São conhecidos como uma “maquiagem”, aparentemente hidratam, mas apenas se acumulam no cabelo e impedem que novas hidratações penetrem. Esses componentes só são retirados com o sulfato.

RESULTADO: o sulfato resseca seu cabelo, daí você investe em bastante hidratação, mas o cabelo não apresenta bons resultados, já que você continua usando silicones, petrolatos, óleos minerais e parafina líquida que impedem que essa hidratação seja reposta. Um círculo vicioso.

E onde entra o NO POO nessa história?

Se o sulfato resseca o cabelo, recomenda-se deixar de usar. Consequentemente, é preciso parar de usar também produtos que tem petrolatos, óleos minerais e parafina líquida na composição. Na técnica do No Poo, além destes, são proibidos os silicones insolúveis em água.

As alternativas para lavar o cabelo são alguns tipos de condicionadores (co-wash) ou o próprio bicarbonato que falamos no começo do post.

E o LOW POO?

Nesta técnica petrolatos, óleos minerais e parafina líquida são proibidos, mas é possível usar ainda os silicone insolúveis em água e que saem com shampoos sem sulfato.

Quais os benefícios?

Pode parecer muito estranho não usar shampoo ou uma tarefa difícil a de escolher produtos liberados, mas ao aderir a técnica, ao poucos, você vai percebendo o quanto o shampoo resseca mesmo, principalmente os cabelos cacheados que já são naturalmente mais secos. Eu faço low poo desde, mais ou menos, junho desse ano e meu cabelo está bem menos ressecado, mais hidratado, mais definido. Até economizo produtos, já que sinto bem menos necessidade de hidratar o cabelo, pouca quantidade é suficiente. Além disso, eu lavo menos o cabelo, já que consigo mais days after.

Como identificar produtos liberados para cada técnica?

No começo é meio confusa a técnica e eu pensei que não fosse me adaptar à escolha dos produtos, mas hoje se tornou rotina e o mercado tem fornecido cada vez mais opções. Abaixo seguem tabelas com os componentes que precisam ser evitados em cada técnica. Sugiro que deixem salvo no celular e levem com vocês na hora da compra. Com um tempo os nomes se tornam habituais e dá pra ter noção sem precisar das tabelas. Nas resenhas aqui no blog vou sempre especificar a composição dos produtos também.

 

LOW POO

São três tabelas para quem quer seguir essa técnica, mas considero a primeira a mais importante. As outras duas, apesar de muitos compostos, são os sulfatos que são fáceis de identificar numa composição.

  1. Derivados do petróleo proibidos para LOW e NO POO:

Slide1

2. Sulfatos proibidos para LOW e NO POO:

Slide2

3. Sulfatos permitidos para LOW: são mais fracos, ressecam menos o cabelo e retiram silicones, mas não retiram os derivados do petróleo.

Slide3

 

NO POO

Além das tabelas acima que tem proibidos para No, precisamos acrescentar os silicones que não podem ser usados nesta técnica. Aparentemente são muitos compostos também, mas os silicones podem ser identificados pelas terminações cone, -xane, -conol.

Nas tabelas, PEG e PPG indicam que os silicones são solúveis em água e não se acumularão no cabelo.

  1. Silicones solúveis permitidos para LOW e NO POO:

Slide5

Slide6

2. Silicones insolúveis proibidos para NO (liberados para LOW):

Slide4

É muito importante ao menos ter noção dessas tabelas, pois mesmo quando alguém nos recomenda algum produto, é normal a pessoa se enganar ou o produto pode ter sofrido modificações de fórmula. Além disso, você acaba descobrindo algum produto novo pelas prateleiras.

Mas afinal, COMO COMEÇAR?

Recomendo uma transição gradual, reduzindo primeiro os produtos com derivados do petróleo e depois, consequentemente, os shampoos com sulfato. É até mais econômico, pois você não precisa se desfazer de uma vez dos seus produtos. Eu fiz isso e depois decidi aderir ao Low Poo. Daí lavei o cabelo mais algumas vezes com shampoo COM sulfato, para garantir que seriam retirados todos petrolatos e comecei definitivamente.

Só amores por essa técnica. Hoje em dia meu cabelo sofre muito com shampoo, até mesmo o com sulfato. Tenho preferido lavar fazendo co-wash, mas isso pode ser tema de futuros posts. Problemas de caspa que eu costumava ter sumiram, já que a parafina  que se acumula no couro cabeludo é uma das causas.

Espero que esse post longo, porém informativo, tenha sido útil para vocês. Deixem dúvidas nos comentários, algo que não tenha ficado claro e se já fazem alguma técnica, contem a experiência de vocês também.

Beijos e até a próxima!

Paty França