O que é LOW e NO POO? O que preciso saber?

Oi, gente! Nesse post vou tentar explicar um pouco sobre as técnicas Low e No Poo. Sei que muita gente na internet já explicou, mas sei que muitas pessoas têm dúvida ainda. E como eu sigo o Low Poo e vou falar diversas vezes aqui no blog, decidi dar uma explicação antes (gostaria de fazer isso em vídeo, mas ainda não foi possível; EM BREVE TEREMOS VÍDEOS).

A origem dessas técnicas vem de quando algumas pessoas começaram questionar o uso de cosméticos e buscavam alternativas mais naturais para cuidar do cabelo, usando óleos vegetais, bicarbonato de sódio e outros produtos.

Mas a técnica como conhecemos hoje é mais semelhante ao que Lorraine Massey escreveu no livro Curly Girl (aceito de presente!), onde ela dá diversas dicas valiosas de cuidado para o cabelo cacheado, incluindo reduzir o uso do shampoo, em que o principal componente é o SULFATO.

curly-girl-the-handbook

 

Mas por que evitar o sulfato?

O sulfato é um componente que tem função de limpar o cabelo. Ele retira substâncias como silicones, óleos minerais, parafina e outros petrolatos, mas também remove a oleosidade natural do cabelo e toda hidratação que fazemos. Assim, o cabelo vai sempre precisar de hidratação, já que o sulfato retira boa parte.

Estes silicones, petrolatos, óleos minerais e parafina líquida, presentes principalmente em condicionadores, cremes e finalizadores, são componentes que formam como uma “capa” ao redor do fio, mantendo a hidratação nele, porém impedindo que o fio receba mais componentes hidratantes. São conhecidos como uma “maquiagem”, aparentemente hidratam, mas apenas se acumulam no cabelo e impedem que novas hidratações penetrem. Esses componentes só são retirados com o sulfato.

RESULTADO: o sulfato resseca seu cabelo, daí você investe em bastante hidratação, mas o cabelo não apresenta bons resultados, já que você continua usando silicones, petrolatos, óleos minerais e parafina líquida que impedem que essa hidratação seja reposta. Um círculo vicioso.

E onde entra o NO POO nessa história?

Se o sulfato resseca o cabelo, recomenda-se deixar de usar. Consequentemente, é preciso parar de usar também produtos que tem petrolatos, óleos minerais e parafina líquida na composição. Na técnica do No Poo, além destes, são proibidos os silicones insolúveis em água.

As alternativas para lavar o cabelo são alguns tipos de condicionadores (co-wash) ou o próprio bicarbonato que falamos no começo do post.

E o LOW POO?

Nesta técnica petrolatos, óleos minerais e parafina líquida são proibidos, mas é possível usar ainda os silicone insolúveis em água e que saem com shampoos sem sulfato.

Quais os benefícios?

Pode parecer muito estranho não usar shampoo ou uma tarefa difícil a de escolher produtos liberados, mas ao aderir a técnica, ao poucos, você vai percebendo o quanto o shampoo resseca mesmo, principalmente os cabelos cacheados que já são naturalmente mais secos. Eu faço low poo desde, mais ou menos, junho desse ano e meu cabelo está bem menos ressecado, mais hidratado, mais definido. Até economizo produtos, já que sinto bem menos necessidade de hidratar o cabelo, pouca quantidade é suficiente. Além disso, eu lavo menos o cabelo, já que consigo mais days after.

Como identificar produtos liberados para cada técnica?

No começo é meio confusa a técnica e eu pensei que não fosse me adaptar à escolha dos produtos, mas hoje se tornou rotina e o mercado tem fornecido cada vez mais opções. Abaixo seguem tabelas com os componentes que precisam ser evitados em cada técnica. Sugiro que deixem salvo no celular e levem com vocês na hora da compra. Com um tempo os nomes se tornam habituais e dá pra ter noção sem precisar das tabelas. Nas resenhas aqui no blog vou sempre especificar a composição dos produtos também.

 

LOW POO

São três tabelas para quem quer seguir essa técnica, mas considero a primeira a mais importante. As outras duas, apesar de muitos compostos, são os sulfatos que são fáceis de identificar numa composição.

  1. Derivados do petróleo proibidos para LOW e NO POO:

Slide1

2. Sulfatos proibidos para LOW e NO POO:

Slide2

3. Sulfatos permitidos para LOW: são mais fracos, ressecam menos o cabelo e retiram silicones, mas não retiram os derivados do petróleo.

Slide3

 

NO POO

Além das tabelas acima que tem proibidos para No, precisamos acrescentar os silicones que não podem ser usados nesta técnica. Aparentemente são muitos compostos também, mas os silicones podem ser identificados pelas terminações cone, -xane, -conol.

Nas tabelas, PEG e PPG indicam que os silicones são solúveis em água e não se acumularão no cabelo.

  1. Silicones solúveis permitidos para LOW e NO POO:

Slide5

Slide6

2. Silicones insolúveis proibidos para NO (liberados para LOW):

Slide4

É muito importante ao menos ter noção dessas tabelas, pois mesmo quando alguém nos recomenda algum produto, é normal a pessoa se enganar ou o produto pode ter sofrido modificações de fórmula. Além disso, você acaba descobrindo algum produto novo pelas prateleiras.

Mas afinal, COMO COMEÇAR?

Recomendo uma transição gradual, reduzindo primeiro os produtos com derivados do petróleo e depois, consequentemente, os shampoos com sulfato. É até mais econômico, pois você não precisa se desfazer de uma vez dos seus produtos. Eu fiz isso e depois decidi aderir ao Low Poo. Daí lavei o cabelo mais algumas vezes com shampoo COM sulfato, para garantir que seriam retirados todos petrolatos e comecei definitivamente.

Só amores por essa técnica. Hoje em dia meu cabelo sofre muito com shampoo, até mesmo o com sulfato. Tenho preferido lavar fazendo co-wash, mas isso pode ser tema de futuros posts. Problemas de caspa que eu costumava ter sumiram, já que a parafina  que se acumula no couro cabeludo é uma das causas.

Espero que esse post longo, porém informativo, tenha sido útil para vocês. Deixem dúvidas nos comentários, algo que não tenha ficado claro e se já fazem alguma técnica, contem a experiência de vocês também.

Beijos e até a próxima!

Paty França