[VÍDEO] TAG Assumindo o Cabelo Crespo

Oi, gente! Nesse vídeo respondi a tag “Assumindo o Cabelo Natural”, criada há algum tempo pela Rayza Nicácio. Assistam o vídeo para conhecer melhor sobre a minha transição e para se motivaram no processo de vocês!

Ah, tem o primeiro post do blog em que escrevi a história do meu cabelo e lá tem muitas fotos do antes e depois. Clique aqui.

Não esqueçam de dar like no vídeo e se inscrever no canal.

 

 

Beijos, até mais!

 

patty

Transição Capilar: texturização com papel higiênico

Gente, como vocês estão? Que SAUDADE de postar! Antes de ir para o assunto do post, quero explicar rapidamente o motivo da nossa ausência: além das dificuldades com a rotina, meu celular foi roubado e demorei para ter outro, o que atrapalha todo o trabalho do blog. Expliquei na nossa página do Facebook, por isso é importante que vocês sigam a gente lá para ficar por dentro de tudo.

Enfim, o post de hoje tem a participação super especial de uma amiga e leitora muito querida nossa, a Dayane Madeira. A Day está em transição e eu e a Sabryna acompanhamos o processo e ajudamos sempre que dá, com dúvidas e incentivos. A Day tem muita dificuldade de lidar com as duas texturas do cabelo e a parte alisada é muito difícil de cachear, então o cabelo vive preso.

Esses dias ela conseguiu ter sucesso em uma texturização e compartilhou o resultado comigo. Eu fiquei apaixonada e pedi para mostrar aqui no blog. Como eu e a Sabryna não estamos mais na transição, ficamos felizes de ter oportunidade de abordar esse assunto e ajudar quem ainda está nesta fase.

 

aam9hdkt

 

A Day fez a texturização com papel higiênico, muito conhecida no youtube. Ela pegou três partes do papel higiênico e dobrou ao meio no sentido do comprimento, depois dobrou mais uma vez e enrolou na diagonal. Ela achou que dessa forma ficaria mais firme. Os rolinhos ficaram assim:

 

gxfucxhk

 

Com o cabelo lavado, ela usou o creme de pentear Garnier Recriador de Cachos (resenha aqui) misturado com a Gelatina “Não sai da minha cabeça” da Salon Line. Pegando mechas não muito grandes, ela foi enrolando o cabelo, tendo atenção com as pontas ainda com química.

 

qezo-hs6

 

Depois de esperar por volta de 4h, o tempo necessário para o cabelo secar, a Day soltou os rolinhos e deu uma ajeitadinha e os cachos ficaram assim:

 

ffbsdz4

sqww-rgo

 

Lindos, né? Eu fiquei encantada, ainda mais porque o cabelo está com uma aparência maravilhosa de bem cuidado. A Day faz low pow há um tempo e gosta muito da técnica. Sobre a texturização, ela achou um processo demorado e cansativo, pois ela tem bastante cabelo. Por outro lado, o resultado foi compensador e durou dois days after, podendo durar mais. Ela usou uma blusa de cetim no travesseiro para garantir que os cachos não fossem tão desfeitos durante a noite, o que é uma ótima dica para um bom day after.

Acho que essa texturização é uma boa opção para quem está em transição e quer arrumar o cabelo para alguma ocasião ou mesmo para se sentir mais bonita e se ver com cachos, já que essa é uma fase tão difícil. Como é trabalhosa, infelizmente não dá para fazer todos os dias.

Quero agradecer a colaboração da Day e desejar que essa transição acabe logo e ela desfile mais por aí com esses cachos maravilhosos!

Espero que a dica dela tenha ajudado! Até mais.

 

patty

Bate-Papo Cachos e Outras Ondas – 2ª edição

Olá! Olha só o que a gente está trazendo pra vocês hoje: tudo o que rolou de bacana na Segunda Edição do Bate-Papo Cachos e Outras Ondas <3

13315315_566736216820369_813131573538310931_n

Aproveitando o sucesso que foi o primeiro, pensamos em levar um tema diferente a cada encontro, como forma de compartilhar histórias, experiências e contribuir com o conhecimento sobre o mundo crespo. Com essa iniciativa, dessa vez lançamos a ideia de falar sobre cachos infantis.

Todo mundo sabe que lidar com molinhas kids é um pouco mais complicado porque a criança depende totalmente de um adulto para lavar os cabelos ou ter quem diga que produto ela tem que usar. Além disso, a textura, espessura, tudo é mais frágil ou diferente. Diante disso, nada melhor do que conversar com quem cuida diariamente desse tipo de cabelo. Assim, convidamos duas mamães para falar sobre o assunto.

13310443_566737433486914_8889087430880076522_n

Apesar de termos direcionado o evento para as mães, por conta do mês de maio, qualquer pessoa poderia participar, e recebemos mensagens de pais que fazem esse papel de cuidar do cabelo das filhas parabenizando a iniciativa e tirando dúvidas.

Além das duas convidadas que estavam no palco, mães que estavam na plateia dividiram suas rotinas de cuidados e tenho certeza que cada uma saiu de lá sabendo uma coisinha a mais <3

Ainda tivemos a Oficina de Turbantes, ministrada pela Talídia, e todo mundo adorou a praticidade e beleza do turbante, que parece difícil de fazer, mas é muito simples. Um charme!

13267862_566736123487045_5994058913149187986_n


13254323_566736130153711_7663545689363990922_n

Por fim, as ganhadoras dos sorteios e mimos levaram para casa uma lembrança desse encontro muito especial.

Agradecemos a participação das mães, das crianças, dos nossos parceiros, e de todo mundo que apoiou mais essa ideia. Até a próxima!

13263807_566738213486836_6892748687865779187_n

Vocês podem conferir mais fotos do evento na nossa página do Facebook.

Beijinhos,

Marca Sabryna

 

Inspiração: noivas crespas e cacheadas <3

Maio é tradicionalmente o mês das noivas, não é? O casamento é um dos dias mais importantes da vida das mulheres que desejam se casar e cada detalhe precisa estar impecável, especialmente ela mesma. Todos os olhares estão sobre a noiva neste dia e o que ela mais quer é estar bonita e se sentindo bem com ela mesma. Acredito que a noiva precisa estar, além de linda, confortável e expressando quem ela é. Para as crespas e cacheadas, ter a opção de usar o cabelo natural é um grande desafio.

A “indústria” de cerimônias e festas de casamento, geralmente, é bem tradicional em muitos sentidos. Em relação aos cabelos, sempre vemos penteados clássicos, modelados à escova/chapinha/babyliss. Mas ainda bem que tem sido cada vez mais comum noivas desfilarem rumo ao altar exibindo seus cachos e crespos. Por isso, vim deixar inspiração para as noivinhas e aquelas que um dia sonham em se casar para que percebam dá para arrasar muito sem esconder o cabelo natural. Veja:

 

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 1

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 2

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 3

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 4

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 5

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 6

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 7

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 14

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 13

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 9

 

Casar de turbante pode sim!
Casar de turbante pode sim!

 

Casar logo depois do Big Chop pode claro que sim!
Casar logo depois do Big Chop pode claro que sim!

 

Cachos e Outras Ondas Noiva 11
Rayza Nicácio não poderia faltar!

 

Como tudo desse grande dia precisa ser planejado, também pense nisso: casar cacheada, cabelo preso ou não, com acessórios ou não. Se precisar de ajuda de um profissional para arrumar as madeixas nesse dia, converse direitinho com ele antes, mostre suas ideias e esclareça caso não queira fazer escova e babyliss. Para alguns profissionais ainda não é compreensível essa ideia de estar no grande dia com um certo frizz, volume e podem tentar convencer você de não usar o cabelo natural. Mas se essa for sua vontade, pesquise, veja que é possível e procure profissionais que vão apoiar você nessa decisão.

Espero que as dicas e a inspiração ajudem! Quero vem muitas noivinhas cacheadas e crespas e muito felizes! Caso tenha alguma, marque nosso instagram @cachoseoutrasondas que vamos amar ver!

Até a próxima! Beijos!

 

patty

TOP 5 MAIS LIDOS DO MÊS – ABRIL 2016

TOP 5 ABRIL 2016

 

Domingão, feriadão, e dia de a gente saber quais foram os posts mais acessados no mês de abril aqui no blog. Vamos lá?

Na última semana a Paty trouxe um post que acabou ficando em primeiro lugar no nosso Top 5 de abril, a resenha de uma máscara de hidratação da Inoar Doctor que ela amou. Lá tem todas as informações sobre os componentes do produto, mais o relato das experiências de uso. Ah, ela ainda é liberada para Low e No Poo, vale a pena conferir!

Logo em segundo tem mais uma resenha, mas dessa vez de creme de pentear. Quem não ama creminhos bons e baratos? Assim é o Monange Hidratação Intensiva. Muitas meninas amam os produtos dessa linha, e esse que é liberado para quem faz low e no poo é ainda mais maravilhoso. Ele deixa o cabelo hidratado e cabe no bolso de todo mundo. Ainda está em dúvida se deve usar? Dá uma olhada no post!

Em terceiro lugar temos uma postagem com algumas dicas para quem acabou de fazer o BC e quer aprender como finalizar. São técnicas simples que ajudam na hora de arrumar o cabelo que está se adaptando ao nove corte. E eu ainda ensinei como fazer leave-in caseiro 😉

Na quarta posição temos vídeo, oba! Voltamos a alimentar nosso canal no Youtube e nesse vídeo tem a Paty contando sobre seu primeiro mês de No Poo. Vale a pena assistir e saber tudo que ela achou e quais as mudanças que ela sentiu no cabelo. E tem muito mais coisa legal por lá, não deixe de se inscrever!

O quinto post mais acessado foi o nosso recadinho pré-encontro de cacheadas. Todas estávamos muito ansiosas e lá vocês puderam conferir tudo que ia rolar no Bate-papo Cachos & Outras Ondas, que foi um sucesso! Se você ainda não viu o post sobre esse dia é só clicar aqui <3

Continuem de olho que em maio tem mais!

Beijinhos,

Marca Sabryna

Bate-papo Cachos & Outras Ondas: encontros, histórias e muitos cachos envolvidos

Que maravilha começar a semana falando de coisa boa não é?

No último sábado, 23, o Cachos & Outras Ondas promoveu um encontro super especial com leitoras do blog e outras cacheadas da cidade. Foi lindo!

cachos-e-outras-ondas

Tudo começou com um convite do Rio Anil Shopping para organizarmos um evento especialmente para esse público que só vem crescendo e encantando por onde passa.

DSC_0439

Assim lá fomos nós, inexperientes com esse lance de evento, mas muito empolgadas com a possibilidade de juntar meninas e mulheres com histórias e dúvidas parecidas, buscando se encontrar ou apenas dividir suas vitórias ou conflitos. E foi exatamente assim.

DSC_0482

DSC_0417

Ficamos surpresas com a quantidade de pessoas que compareceram, que vieram nos cumprimentar no final, que nos elogiaram e disseram animadas: quando vai ter outro?

E valeu muito a pena. Mesmo com aquele friozinho na barriga, a tensão com os imprevistos e o medo de que não fosse agradável, a felicidade de no final ver a satisfação no rosto de cada uma foi incrível!

Começamos contando nossas experiências com a transição capilar e as técnicas de Low e No Poo.

DSC_0366

DSC_0373

Pudemos contar com os conhecimentos e simpatia da Josy Dominice, do Salão Cachearte, que sempre muito solícita, falou sobre os cuidados com os cabelos crespos e cacheados, as patologias capilares, e tirou muitas dúvidas sobre permanente afro, luzes, e muitos outros assuntos.

DSC_0424

DSC_0428

DSC_0488
Além da Josy, tivemos ainda o Pedro Gabriel, da loja online Muamba Store, que gentilmente nos cedeu um kit de sua loja para que pudéssemos sortear para o nosso público.

Um dos pontos altos do evento foi o momento em que algumas meninas que estavam na platéia se manifestaram para dividir suas historias. Foi emocionante!! Cada uma do seu jeitinho e com seu repertório capilar, deram um toque mais que especial para o encontro.

DSC_0407

DSC_0403

DSC_0397 (1)
No final tivemos sorteios de brindes e nossas convidadas levaram pra casa uma pequena lembrança desse dia.

DSC_0456
A ganhadora do nosso sorteio no instagram, Bia Cardoso

DSC_0459

DSC_0461

DSC_0463

DSC_0465

E assim, deixando nossos mais sinceros agradecimentos, terminamos o primeiro Bate-papo Cachos & Outras Ondas. Felizes com a confiança e o carinho de cada uma que compareceu, prometemos nos empenhar cada dia mais pra que esse seja não só um blog, mas aquele cantinho especial de vocês. Até a próxima!!

DSC_0467

Beijinhos,

Marca Sabryna

E se eu não quiser cachear?

O-estilo-dos-cabelos-lisos-e-encaracolados

Ultimamente, ou melhor, desde que comecei a entrar nesse mundo de transição capilar e voltei a usar meu cabelo cacheado, eu tenho observado situações e procurado ver a coisa toda de vários ângulos. Quando eu decidi parar de usar química eu não contei pra quase ninguém, não que fosse um segredo, claro, mas eu só comentava se alguém introduzisse o assunto alisamento ou notasse a minha “raiz alta” rs. Geralmente as pessoas tinham duas reações: ou elas diziam o quanto isso era legal, bacana, supimpa, ou elas diziam o quanto eu era corajosa por fazer algo que elas não tinham coragem. Raramente alguém chegava ao ponto da sinceridade de dizer: “Não vai ser fácil, teu cabelo vai ficar acabado, mas depois vai dar muito certo”. E uma, só umazinha disse o clássico “Tu não vai conseguir”.

Mas eu consegui. Passei perrengues e mais perrengues, vontades e mais vontades de desistir, mas tô aqui, com dois meses e meio de BC e descobrindo um cabelo novo.

Pois bem, bela história pra se contar, e quem acompanha o blog sabe que eu já contei  várias vezes sobre como foi a minha transição capilar e etc etc etc. Mas hoje o assunto que eu quero falar é sobre o processo inverso: E se eu quiser alisar?

Não, não eu literalmente, mas qualquer garota/mulher que está sentindo o boom das cacheadas ao seu redor e, por vezes, aqueles olhares tortos sobre alguém que continua passando a chapinha no cabelo.

Tenho observado que da mesma forma que sofremos uma pressão (falando de forma bastante generalizada e superficial) para alisar o cabelo, as alisadas hoje sofrem para entrar em transição capilar e voltar a ter sua cabeleira natural.

Ué, mas a ideia não era se desvencilhar das amarras?

Ser do time das alisadas e não querer se cachear tem sido motivo de comentários tão constrangedores quanto os que eram dados para as cacheadas que não queriam se alisar. E não estou especulando, talvez vocês ainda não tenham presenciado cenas como esta, mas eu já, várias vezes. Então pensem comigo: imagine alguém que nasceu de cabelo cacheado e ouviu durante um bom tempo que ele precisava de um “jeito”, e esse jeito era a química, depois de anos ouve de volta que PRECISA assumir o cabelo natural. Buguei?

Aí vocês respondem: mas sabryna, todas temos que nos aceitar como viemos ao mundo, e deixar de viver um padrão e…

Oooou: mas sabryna, todas podemos fazer o que quiser, não devemos seguir o que socidade manda, somos donas de nossas próprias vontades e…

Enfim, essas coisas.

Agora pensem de novo: imagine alguém que já alisou, já deixou de alisar, e já voltou a usar o cabelo natural, comentar por alto: “estou meio a fim de alisar o cabelo” e ouvir gritos eufóricos dizendo “nãaaaao” “não acredito que vai fazer isso” “que loucura” “mas teu cabelo está tão lindo assim”. Um ponto importante passa despercebeido: nem sempre está lindo para ela como está para nós. Vontades vem e vão e desejos de mudança também.

O ponto que quero chegar é esse: nós, que já passamos pela transição capilar, temos que tomar cuidado para não sermos as mesmas pessoas que nos pressionaram aos alisamentos quando tudo começou. Não sermos as mesmas bocas nervosas que se coçam ao ver um cabelo com química e dizer: “Você TEM que deixar isso de lado” “Você TEM que assumir seus cachos” “Você TEM que parar de usar chapinha” “Você TEM que”. Odiávamos isso, lembram? Odiávamos que nos dissessem o que fazer. Odiávamos quando diziam que nosso cabelo era feio do jeito que estava.

Não precisamos obrigar – com discursos prontos e frases clichês – ninguém a alisar, ninguém a cachear. Um cabelo com química pode estar maltratado pela química da mesma forma que um cacheado pode estar maltratado por um ressecamento. Um cabelo alisado pode estar saudável e hidratado da mesma forma que um cacheado pode ser maravilhoso com Low Poo. Inclusive não obriguem ninguém a aderir ao Low e No Poo também. Sabemos o quanto essa técnica é maravilhosa, mas nem todo mundo está disposto a decorar compostos liberados e proibidos. Usamos shampoo com sulfato a vida inteira e nosso cabelo ainda está na cabeça.

O objetivo desse textão não é criar polêmica e muito menos ser incoerente (se tenho um blog para cachos por que falar de alisamento??), mas convidar para uma reflexão que eu tenho feito desde que entrei nesse mundo crespo. Se alguém lhe parabenizar pelo sucesso da transição, sorria e diga “Obrigada!”, segure a vontade de dizer “Faz também!”. Se alguém lhe perguntar o que você fez para ficar assim, responda gentilmente (e indique o blog, please!! Haha), e resista ao ímpeto de dizer que chapinha acaaaaba o cabelo.

Cada mulher sabe a dor e a delícia de ter o cabelo que tem.

Nós cacheadas devemos ser um time que acolhe quem quer se aprochegar, e não fiscais que obrigam alisadas a se alistarem.

Em terra de chapinha quem tem cachos é rainha.

Em terra de cacheada quem quer alisar não precisa perder o trono.

Marca Sabryna

Crespos coloridos!

Olá, migas!

Semana passada eu trouxe um post-inspiração maravilindo aqui pra vocês (principalmente pra quem está pensando em BC), e hoje eu volto com mais uma seleção de cabelos escândalos pra quem não tem medo de ousar. Quem disse que cabelo crespo não pode ser colorido? Cor é vida! E essa tendência mescla estilo e autenticidade em uma só cabeça. É só baixar a telinha pra conferir:

23f1c1bafd8b19297cb0a90f96167dd1

54cdf6b7865f81d6e059e0716f5cafda

70c45e8743079ee13790bb37f0cb4126

90f00eefd4a0905079c12c4291118bb0

0160d9638abf6eaf71a41cc12fb7fcda

4033bd2de0ac956ee730ace3b4845308

12465c9ce16fcb7846237d021b212a58

a35fbe791043976805ee4923f6c6ecee

170923486e7a9cc3d1b597127a531175

d83e6910f4ae77a2cfd591c1e76d3826

Fonte: Pinterest

 

Sensacionais, não?

Agora é só escolher sua cor favorita e mandar ver!

Ah, e não esquece de mostrar pra gente, ok?

 

Beijinhos,

Marca Sabryna

 

A vida pós BC

Já é de conhecimento de todo mundo por aqui que eu já concluí a minha transição e estou com o cabelo 99% natural, certo? (99% porque ainda tem uma ou outra pontinha lisa). Então, como estou com quase um mês e meio de BC, eu vim contar um pouquinho de como está sendo essa nova fase pra mim.

Snapchat-3965947837664090395

Tamanho

No dia que eu saí da salão com o cabelo bem curtinho, eu estranhei primeiramente a leveza. Balançava a cabeça de um lado pro outro e parecia que tinha pluma no lugar dos cachos. Sério, foi bizarro. Mas ao mesmo tempo muito surpreendente. A primeira vez que eu lavei senti  o quanto estava pequeno pelo vão que ficava quando eu descia a mão pelos fios. Eu segurava mais o ar do que cabelo. Mas não me arrependi e não achei curto demais. Pelo contrário, achei que ia ficar bem menor.

Comentários

Bom, por mais que a gente diga que as decisões quanto ao nosso cabelo cabem somente a nós, não podemos negar que ficamos curiosa com o que as pessoas vão achar, principalmente aquelas que são próximas de nós, como família, amigos, etc. Em casa foi uma baita surpresa, porque eu saí de casa sem dizer que ia fazer o BC (aloka), então todo mundo tomou um susto, mas achou ~bonitinho~. Meu pai não curtiu tanto assim, mas acho que agora ele já está se acostumando (não tem mais pra onde correr, pai!). Meus amigos todos amaram e elogiaram bastante, e a comunidade cacheada então nem se fala. No geral, recebi muuuitos mais elogios que críticas, e isso me deixou bem feliz também.

Desafios

O meu maior desafio foi, e está sendo ainda, a finalização. Desde a época de transição eu já não era muito boa em finalizar, não tinha muita paciência e nem jeito, o que fez eu querer acelerar ainda mais o meu corte. No primeiro dia pós BC eu não fitei o cabelo, só apliquei o creme e amassei. Não ficou muito bom porque eu não estava acostumada com o volume e achei um tanto quanto estranho, confesso. Aos poucos fui fitando mais devagarzinho, ajeitando como podia, até porque, por conta do tamanho, é muito difícil separar as mechas sem que elas caiam uma por cima da outra e bagunce tudo. Mas enfim, ainda não encontrei o MEU melhor jeito de finalizar e estou aprendendo com o tempo.

Cuidados

Assim que eu cortei eu comecei imediatamente o Low Poo. Aprendi tudo certinho, comprei os produtos e estou seguindo a técnica direitinho. E continuo com o Cronograma Capilar também, então lavo o cabelo um dia sim e um dia não. Mas molho todos os dias, o que acredito que não seja lá o recomendado, mas eu e o day after ainda não nos acertamos muito bem. Mas chegaremos lá!

PhotoGrid_1456272267134
A foto não está um poço de resolução, mas dá pra ver como eu deixo quanto ao volume 

Definição

Bom, os cachos estão com uma boa definição, mas acredito que podem melhorar conforme o aperfeiçoamento das minhas finalizações. Não estou com Scab Hair e ele costuma ficar definidinho o dia inteiro, sem problemas. No dia seguinte não acordo com ele totalmente bagunçado e sem forma, mas com muito frizz e volume, coisas com as quais ainda não me acostumei (deem um desconto!)

Crescimento

O crescimento está m-a-r-a-v-i-l-h-o-so. Acho que o Low Poo está sendo essencial nesse quesito (além do que meu cabelo está morto de saudável e macio) e eu já senti um crescimento considerável nesses 45 dias. Já tô quase com tufinhos de cabelos caindo em cima do olho hehe. A técnica é destruidora mesmo! No bom sentido, claro.

Snapchat-8496786496462187286

Esses foram os pontos principais que eu achei importante compartilhar com vocês. São os meus dramas e aprendizados com o cabelo novo. Ainda não sou a rainha master dos cachos, mas estou caminhando para manter e cuidar deles para que o resultado daqui a 1 ano, 1 ano e meio, seja não apenas tranquilo, como também favorável rs. O importante mesmo é que estou satisfeita por ter começado e ido até o fim com a ideia da transição. É uma sensação maravilhosa você tocar, cuidar e exibir por aí o próprio cabelo.

Se vocês tiverem dicas pra me dar, ou histórias pra compartilhar, já sabem como funciona, é só comentar por aqui ou pelas redes sociais. Vou amar trocar ideias com vocês. Até a próxima!

Beijinhos,

Marca Sabryna

8 transformações cacheadas para inspirar

O post de hoje é muito especial. Como já comentamos aqui, eu a Sabryna temos um grupo de amigas no whatsapp em que compartilhamos nossos cuidados com cabelos. Várias meninas passaram ou estão passando pela transição e de vez em quando marcamos encontros para conversar, fazer gordices e trocar conhecimentos sobre cachos. Um deles foi tema de post, leia aqui.

O grupo começou com 6 meninas e agora já somos mais de 40. O mais gratificante é conhecer diversas histórias e transformações. Algumas delas vamos mostrar aqui para que vocês se inspirem! A maioria delas é de descoberta da beleza do cabelo de cada uma, reaprendendo a cuidar e tendo coragem para mudar. Os resultados são especialmente devido à coragem de cortar, aderir ao low/no poo, ao cronograma capilar e ao aprendizado do cuidado e amor aos cachos. Além do incentivo uma às outras! Vejam que belas mudanças.

1- Gaby Dias: a Gaby era adepta da selagem, hábito muito comum de quem tem os cachos mais abertos e não consegue definição. Ela abandonou a química e a chapinha, aprendeu a cuidar do cabelo e aderiu ao low poo.

 

colagem gaby

 

2- Lívia Amorim: chegou no grupo apegadíssima a um mega hair que não tava ajudando na definição dos cachos. Tivemos que conversar muuuuito para convencer a Lívia a tirar o mega e cuidar melhor do cabelo. Até que agora ela está craque na fitagem e arrasando com esse loiro!

 

IMG-20160218-WA0031

 

3- Aline Samira: outra adepta do mega hair na transição, mas que teve coragem de desapegar e fazer o big chop. Hoje já cresceu bastante e ela está começando a aderir ao low poo também.

 

IMG-20160219-WA0014

 

4- Talyta Ribeiro: a Talyta passou pela transição apegada na chapinha e nunca imaginou os cachinhos maravilhosos que ela poderia ter. Ela considera que o low poo foi o grande responsável pela transformação dos cachos, além de passar a gostar de um pouco mais de volume.

 

IMG-20160219-WA0006

 

5- Fabi Teixeira: Fabi arrasa nos cachos vermelhos, mas antes fazia química e usava bastante chapinha. Também adepta do low, hoje dá aulas de fitagem para todas as meninas! Além de incentivar a ousadia e coragem no corte e nas mudanças que são sempre bem-vindas.

 

IMG-20160219-WA0020

 

6- Aglaene Nobre: Agla é membro um pouco mais recente do grupo, tem um cabelo tipo 2 maravilhoso! Ainda nem aderiu a nenhuma técnica, mas já está aprendendo a finalizar e é a prova que as onduladas não precisam de chapinha para ficarem lindas!

 

IMG-20160219-WA0005

 

7- Sabryna Mendes: para finalizar, duas figurinhas que vocês estão acostumados a ver. Sabryna está na reta final da transição, fez o big chop (veja aqui) e agora está se adaptando ao novo cabelinho, aderindo ao low também.

 

12728786_925412050861906_1255878979755303288_n

 

8- Paty França (eu!): minha transição vocês podem ver aqui, mas nessa foto (que eu já postei no instagram, sigam @cachoseoutrasondas) mostra bem a diferença que aprender os cuidados fez no meu cabelo, principalmente com o low poo e a finalização. Além das luzes que eu amo!

 

12644866_517863735040951_412608869380595108_n

 

Que orgulho de todas! Agora sempre que você pensar ou ouvir alguém falar “meu cabelo não cacheia”, leia esse post ou mande para a pessoa. Todo cabelo é lindo. Você só precisa conhecê-lo, passar a amar e cuidar.

Espero que vocês tenham se inspirado. Breve contaremos mais histórias do nosso grupo!

Até mais 🙂

patty