Bate-Papo Cachos e Outras Ondas – 2ª edição

Olá! Olha só o que a gente está trazendo pra vocês hoje: tudo o que rolou de bacana na Segunda Edição do Bate-Papo Cachos e Outras Ondas <3

13315315_566736216820369_813131573538310931_n

Aproveitando o sucesso que foi o primeiro, pensamos em levar um tema diferente a cada encontro, como forma de compartilhar histórias, experiências e contribuir com o conhecimento sobre o mundo crespo. Com essa iniciativa, dessa vez lançamos a ideia de falar sobre cachos infantis.

Todo mundo sabe que lidar com molinhas kids é um pouco mais complicado porque a criança depende totalmente de um adulto para lavar os cabelos ou ter quem diga que produto ela tem que usar. Além disso, a textura, espessura, tudo é mais frágil ou diferente. Diante disso, nada melhor do que conversar com quem cuida diariamente desse tipo de cabelo. Assim, convidamos duas mamães para falar sobre o assunto.

13310443_566737433486914_8889087430880076522_n

Apesar de termos direcionado o evento para as mães, por conta do mês de maio, qualquer pessoa poderia participar, e recebemos mensagens de pais que fazem esse papel de cuidar do cabelo das filhas parabenizando a iniciativa e tirando dúvidas.

Além das duas convidadas que estavam no palco, mães que estavam na plateia dividiram suas rotinas de cuidados e tenho certeza que cada uma saiu de lá sabendo uma coisinha a mais <3

Ainda tivemos a Oficina de Turbantes, ministrada pela Talídia, e todo mundo adorou a praticidade e beleza do turbante, que parece difícil de fazer, mas é muito simples. Um charme!

13267862_566736123487045_5994058913149187986_n


13254323_566736130153711_7663545689363990922_n

Por fim, as ganhadoras dos sorteios e mimos levaram para casa uma lembrança desse encontro muito especial.

Agradecemos a participação das mães, das crianças, dos nossos parceiros, e de todo mundo que apoiou mais essa ideia. Até a próxima!

13263807_566738213486836_6892748687865779187_n

Vocês podem conferir mais fotos do evento na nossa página do Facebook.

Beijinhos,

Marca Sabryna

 

Resenha: Creme de Pentear Elseve Hydra-Max Colágeno

ATENÇÃO: este produto não é pra liberado para Low ou No poo.

Olá, migas. Tudo bem?

Por esses dias meu creme de pentear acabou e eu me vi sem creme no meio da semana e sem ter como ir ao supermercado comprar outro. Minha mãe, num ato de gentileza, comprou um pra mim, mas como ela não manja de low poo, acabou trazendo o primeiro que viu pela frente e achou que fosse bom. Daí, pra não fazer desfeita, eu resolvi usar e gostei bastante do resultado.

hydra-max-cp

Lembrando que quando você usa um produto dito proibido, você tem que usar shampoo com sulfato, senão algumas substâncias não sairão do seu cabelo.

Como a gente vive trazendo produto para low e no poo, e eu tenho certeza que tem meninas por aqui que não fazem a técnica, eu resolvi trazer esse hoje como indicação pra vocês.

Ele é do tipo que deixa o cabelo levinho, mas nããao tão levinho (eu sei que muitas meninas preferem esse tipo de resultado no cabelo), bem do jeito que eu gosto. Nem muito pesado, nem muito leve. O cheiro dele também não é enjoativo e dá pra seguir tranquila durante o dia inteiro.

Ele deixa os fios hidratados, controla o frizz e ajuda na definição. A única coisinha que eu não gostei muito foi a consistência. Por ser mais “grossinho” ele não é tão econômico.

Fora isso, eu indicaria pras meninas que não fazem o low. A Paty usou assim que saiu da transição e também gostava bastante. É uma ótima dica!

E vocês, já usaram? Contem pra gente 😉

Beijinhos,

Marca Sabryna

TOP 5 MAIS LIDOS DO MÊS – ABRIL 2016

TOP 5 ABRIL 2016

 

Domingão, feriadão, e dia de a gente saber quais foram os posts mais acessados no mês de abril aqui no blog. Vamos lá?

Na última semana a Paty trouxe um post que acabou ficando em primeiro lugar no nosso Top 5 de abril, a resenha de uma máscara de hidratação da Inoar Doctor que ela amou. Lá tem todas as informações sobre os componentes do produto, mais o relato das experiências de uso. Ah, ela ainda é liberada para Low e No Poo, vale a pena conferir!

Logo em segundo tem mais uma resenha, mas dessa vez de creme de pentear. Quem não ama creminhos bons e baratos? Assim é o Monange Hidratação Intensiva. Muitas meninas amam os produtos dessa linha, e esse que é liberado para quem faz low e no poo é ainda mais maravilhoso. Ele deixa o cabelo hidratado e cabe no bolso de todo mundo. Ainda está em dúvida se deve usar? Dá uma olhada no post!

Em terceiro lugar temos uma postagem com algumas dicas para quem acabou de fazer o BC e quer aprender como finalizar. São técnicas simples que ajudam na hora de arrumar o cabelo que está se adaptando ao nove corte. E eu ainda ensinei como fazer leave-in caseiro 😉

Na quarta posição temos vídeo, oba! Voltamos a alimentar nosso canal no Youtube e nesse vídeo tem a Paty contando sobre seu primeiro mês de No Poo. Vale a pena assistir e saber tudo que ela achou e quais as mudanças que ela sentiu no cabelo. E tem muito mais coisa legal por lá, não deixe de se inscrever!

O quinto post mais acessado foi o nosso recadinho pré-encontro de cacheadas. Todas estávamos muito ansiosas e lá vocês puderam conferir tudo que ia rolar no Bate-papo Cachos & Outras Ondas, que foi um sucesso! Se você ainda não viu o post sobre esse dia é só clicar aqui <3

Continuem de olho que em maio tem mais!

Beijinhos,

Marca Sabryna

Depois a louca sou eu – Tati Bernardi

DEPOIS A LOUCA SOU EU

Eu gosto da Tati Bernardi desde que as frases que nunca saberemos se eram dela rolavam pela timeline do Tumblr lá em 2009. Apesar de esse ter sido o primeiro livro dela que chega às minhas mãos, eu já me identificava com os textos que encontrava em seu site ou no portal da Folha de S. Paulo, onde ela é colunista.

Quando, já do meio pro final da novela, eu descobri que ela era uma das colaboradoras de A Vida da Gente (2012), exibida no horário das seis na Rede Globo, eu quis voltar todos os capítulos só pra ver se reconhecia alguma traço da personalidade de Tati na novela. Mas no final achei que toda a aura da narrativa era muito parecida com ela.

Depois a louca sou eu é um livro que não fala sobre os outros, não fala sobre os problemas do mundo e nem sobre as questões em pauta nos jornais. Fala sobre a Tati Bernardi. Mas também não é uma biografia.

Por trás da capa derrubei-meu-marca-texto-verde-limão tem uma mulher na casa dos trinta anos se desmanchando para seus leitores e contando todas as coisas que tiram seu sossego ou atormentam sua paz. Em 90% do livro algum remédio antidepressivo comanda a história ou é o protagonista da cena. Tati conta nos mínimos detalhes como é ser dependentes de bulas e cartelas de comprimidos. “As boas drogas têm SAC”.

Mas não é uma romantização da ansiedade ou das crises de pânico. É de verdade. Tão de verdade que quase te faz sentir os enjoos e a suadeira ao entrar no avião, ou a necessidade de tomar 0,25g de Rivotril pra ver se a coisa melhora. Tão de verdade que você quase se sente meio depressiva também.

Os textos também têm uma dose de humor característica dela. Quando ela conta sobre seus namorados e suas transas, ou como é trabalhar com gente importante que trabalha na Globo. Ela deixa claro que apesar de ser roteirista, publicitária, escritora, funcionária de uma grande emissora e com alguns filmes e novelas/programas no currículo, ela é gente como a gente. Ela vomita, vai ao banheiro, tem medo, ânsias, vontades, chatices, cansaço, tristeza.

Tati deixou que nós entrássemos em seu mundo e déssemos opiniões, fizéssemos julgamentos. Que a gente pode achar a história dela toda uma frescura, mas que mesmo assim ela está lá escrevendo sobre ela.

A parte mais feliz é o último texto, quando ela diz orgulhosa que depois de tanto sufoco contado no livro, ela está há meses sem tomar nenhum remédio. Não que ela esteja totalmente curada das crises, mas que a vida voltou a ser normal do jeito que ela considera normal. E mesmo que tudo possa mudar no minuto seguinte, ter mais um dia para contar que não tomou nada é mais um dia feliz.

“Eu posso voltar a tomar remédios daqui a dez minutos, mas o fato é que neste minuto estou muito bem. Na real não estou muito bem, para falar a verdade estou até meio mal, mas estou um tanto mais parecida comigo”.

A Tati é louca, mas é legal.

Editora: Companhia das Letras

Ano: 2016

Preço: 34,90

Vocês podem ler resenhas de outros livros lá no meu bloguinho literário: Quarto Andar.

Beijinhos,

Marca Sabryna

Bate-papo Cachos & Outras Ondas: encontros, histórias e muitos cachos envolvidos

Que maravilha começar a semana falando de coisa boa não é?

No último sábado, 23, o Cachos & Outras Ondas promoveu um encontro super especial com leitoras do blog e outras cacheadas da cidade. Foi lindo!

cachos-e-outras-ondas

Tudo começou com um convite do Rio Anil Shopping para organizarmos um evento especialmente para esse público que só vem crescendo e encantando por onde passa.

DSC_0439

Assim lá fomos nós, inexperientes com esse lance de evento, mas muito empolgadas com a possibilidade de juntar meninas e mulheres com histórias e dúvidas parecidas, buscando se encontrar ou apenas dividir suas vitórias ou conflitos. E foi exatamente assim.

DSC_0482

DSC_0417

Ficamos surpresas com a quantidade de pessoas que compareceram, que vieram nos cumprimentar no final, que nos elogiaram e disseram animadas: quando vai ter outro?

E valeu muito a pena. Mesmo com aquele friozinho na barriga, a tensão com os imprevistos e o medo de que não fosse agradável, a felicidade de no final ver a satisfação no rosto de cada uma foi incrível!

Começamos contando nossas experiências com a transição capilar e as técnicas de Low e No Poo.

DSC_0366

DSC_0373

Pudemos contar com os conhecimentos e simpatia da Josy Dominice, do Salão Cachearte, que sempre muito solícita, falou sobre os cuidados com os cabelos crespos e cacheados, as patologias capilares, e tirou muitas dúvidas sobre permanente afro, luzes, e muitos outros assuntos.

DSC_0424

DSC_0428

DSC_0488
Além da Josy, tivemos ainda o Pedro Gabriel, da loja online Muamba Store, que gentilmente nos cedeu um kit de sua loja para que pudéssemos sortear para o nosso público.

Um dos pontos altos do evento foi o momento em que algumas meninas que estavam na platéia se manifestaram para dividir suas historias. Foi emocionante!! Cada uma do seu jeitinho e com seu repertório capilar, deram um toque mais que especial para o encontro.

DSC_0407

DSC_0403

DSC_0397 (1)
No final tivemos sorteios de brindes e nossas convidadas levaram pra casa uma pequena lembrança desse dia.

DSC_0456
A ganhadora do nosso sorteio no instagram, Bia Cardoso

DSC_0459

DSC_0461

DSC_0463

DSC_0465

E assim, deixando nossos mais sinceros agradecimentos, terminamos o primeiro Bate-papo Cachos & Outras Ondas. Felizes com a confiança e o carinho de cada uma que compareceu, prometemos nos empenhar cada dia mais pra que esse seja não só um blog, mas aquele cantinho especial de vocês. Até a próxima!!

DSC_0467

Beijinhos,

Marca Sabryna

Bate-papo Cachos e Outras Ondas – O que vai ter?

Opa, opa, já estão todas sabendo do nosso evento que vai juntar as cacheadas mais lindas da cidade?

Se não, dá uma olhadinha aqui.

Pra quem já está por dentro, vamos explicar agora tintim por tintim tudo que vai rolar.

Há alguns dias o Rio Anil Shopping, em uma iniciativa muito bacana, entrou em contato com o nosso blog e ofereceu seu Espaço Cultural pra que pudéssemos usar pra falar daquilo que a gente mais ama: cachos. Daí começou uma correria pra organizar programação, entrar em contato com profissionais da área e pensar em cada detalhe desse evento que estamos preparando com muito carinho pra vocês.

Aí entra a Josy Dominice, do Salão Cachearte, que é uma grande parceira nossa que nos recebe com tanto carinho e está sempre incentivando nosso trabalho. Inclusive ela que fez o meu BC e me deixou mega satisfeita. Assim a convidamos para falar um pouco sobre as patologias capilares e dar dicas de finalização. Ela tem muito a ensinar!

Outra convidada super especial é a Talídia Rodrigues. Ela vai ministrar uma oficina de turbantes e tenho certeza que vocês vão adorar!

Eu e Paty também daremos nossos depoimentos e contaremos sobre nossas transições capilares.

Ah, e vai ter sorteio!

Imperdível, não? Esperamos vocês!

EVENTO

Como finalizar o cabelo depois do BC

Olá, migas, como vão?

Hoje eu vim dar algumas diquinhas de como vocês podem finalizar os cachos depois do Big Chop.

Muita gente tem essa preocupação, assim como eu tive também, de como vai ficar o cabelo depois que sair todo o alisamento. Claro que depende muito do quanto o seu cabelo natural já cresceu e do tipo de cacho que ele é. Se ele tende mais pro tipo 3 ou 4, e tá bem curto, ele vai encolher mais. Se é do tipo 2 provavelmente o enrolado vai ficar mais abertinho, e por aí vai.

Antes de mais nada é importante que você saiba que o cabelo não vai ficar perfeito com a primeira finalização que você fizer e com o primeiro creme que você usar – a menos que você seja muito sortuda. Então tenha paciência para conhecer o seu cabelo e aprender qual a melhor técnica e os melhores produtos para ele. Não tenha medo de testar, e não fique brava quando a finalização não funcionar (eu ficava, não recomendo). E lembre-se: tudo é prática.

  • Uma técnica bastante utilizada é a fitagem. A clássica. Se você ainda não sabe como funciona, é simples: basta separar o cabelo em mechas (o tamanho da mecha vai dizer como seu cacho vai ficar, mechas fininhas, cachos fininhos), colocar um tantinho de creme nas mãos e ir penteando com os dedos, formando as “fitas”. Depois é só amassar bastante e continuar o processo por todo o cabelo.
  • Outra que já é usada desde 1845 é o dedoliss. Esse que sua mãe fazia no seu cabelo quando você era criança. Passar uma mechinha no dedo e ir enrolando até os cachos irem se formando. Uau.
  • Tem também aquela bem prática e rápida. No banho, com o cabelo ainda encharcado, passe o creme e vá penteando com as mãos. Depois é só amassar e absorver o excesso de água com uma toalha ou camisa de algodão.
  • Pra você que tem cabelo do tipo 4c e ama um volumão, a dica é usar o pente garfo e ir moldando o cabelo a seu gosto. Ele é prático, cabe na bolsa e deixa o crespo com um visual incrível!
  • Se você tem um day after bacana e quer dar só uma ajeitadinha no dia seguinte, use um leave-in para umidificar e melhorar a definição. Se você não tem um é só produzir o seu caseiro: misture água e seu creme de pentear dentro de um borrifador e voilà.

No mais, tenha longas conversas com seu cabelo e entenda suas necessidades. Tenha em mente que em cada cabecinha nasce um cabelo diferente. Desencane com a definição-comercial-de-shampoo e tente ver o volume por outro ângulo. Ele pode combinar e muito com você. Um dia de cada vez e aos poucos você será expert na arte de finalização.

Beijinho,

Marca Sabryna

Resenha Creme de Pentear Monange

Olá, migas. Como vão?

Hoje eu vim falar de mais um produto que eu tô usando, e, como vocês sabem, tudo que a gente testa e gosta a gente traz pra vocês, não é mesmo?

O produtinho de hoje é um creme de pentear da marca Monange. Mais especificamente Creme para Pentear Hidratação Intensiva. Conhecido também como o monange rosinha.

12969169_982168585194151_1283858532_n

 

Eu já tinha ouvido falar muito bem desse creme, muitas cacheadas usaram e recomendaram, então eu fui lá no supermercado mais próximo e satisfiz minha curiosidade comprando logo dois potinhos de uma vez só. E de fato ele deixa muito pouco a desejar.

O primeiro ponto positivo é o preço.

#crise

Eu comprei por menos de 5 reais, então 10 dilmas deram tranquilamente pra me abastecer com dois vidros de creme, e isso é maravilhoso. De todos os cremes de pentear que eu já usei depois da transição ele é sem dúvida o mais barato que já comprei.

Ah, e ele é liberado para Low e No Poo!

12969334_982168431860833_2000411365_n

 

Outra coisa muito bacana nele é que eu senti o cabelo de fato hidratado, como promete o rótulo. E isso é muito raro, migas (pelo menos comigo). E eu amo produtos que cumprem o que prometem.

Quanto a definição, ele também deu conta do recado. Apesar de não usar day after, no dia seguinte meu cabelo continua macio e com aspecto de hidratado. E praticamente sem frizz.

A única coisa que não gostei foi o cheiro. Não que seja ruim, pelo contrário, ele é bem docinho. Porém foi esse docinho que  eu achei meio enjoativo. Mas claro que isso varia de pessoa pra pessoa, então se você não tem problema com cheiros adocicados, ele é perfeito.

Eu tirei duas fotos do resultado, uma assim que acabei de aplicar o creme, e outra quando cheguei ao estágio, depois de alguns sopros de ventos pelo caminho e com ele mais sequinho. Voilá.

12966632_982168308527512_1256953766_n
Aqui logo depois da fitagem

 

12966134_982167901860886_202334984_n
Aqui depois de ter secado um pouco

 

12919073_982168151860861_869868534_n

 

E vocês, já usaram? O que acharam? Contem pra gente!

Beijinhos,

Marca Sabryna

TOP 5 MAIS LIDOS DO MÊS – MARÇO 2016

TOP 5 MARÇO 2016

 

Olá, abril!

Migas, ainda bem que nosso primeiro domingo do mês não caiu no dia 1º de abril, já pensou se vocês achassem que era mentira nossa escala de posts mais lidos do mês?

A piada foi meio ruim mas ok vamos ao que interessa rs

Essa semana eu postei um texto que acabou por ser o primeiro mais lido de todo o mês de março. Fala sobre a opção de alisar e não ter interesse em usar o cabelo natural, seja cacheado, ondulado, etc. Fiquei muito feliz com a repercussão, ninguém entendeu de maneira equivocada e muitas meninas se identificaram. Estamos aqui para somar, girls!

Outro post bastante repercutido foi o do Creme de Pentear da Niely Gold, que ficou em segundo lugar. A marca agradeceu nossos elogios e a foto  da Paty ainda foi parar no instagram da empresa. Chique! Mais uma das nossas publicações e produtos que bombaram. Vale a pena conferir e colocar na listinha de creminhos pra experimentar.

Em terceiro, falamos sobre BC e todas as dúvidas e consequências que ele traz. Como passo final da transição ele é o grande questionamento de toda mulher que está pensando em eliminar a química do cabelo. Por isso vez ou outra conversamos sobre esse assunto e estamos sempre prontas para ouvir vocês.

Em quarto, trouxemos 30 dicas de beleza pra deixar nossas leitoras ainda mais lindas e bem cuidadas. Dicas de pele, alimentação, cabelo, tudo bem facinho de seguir e com bons resultados. Esperamos que vocês estejam seguindo uma por uma, hein.

Na quinta posição levantamos outra pauta importante: o uso da chapinha durante a transição capilar. Algumas meninas costumam usar, por achar mais fácil ou cômodo, e outras preferem tirar de vez o objeto da rotina do cabelo por acreditar que o calor danifique os fios novos que estão crescendo. Por isso a postagem traz algumas vantagens e desvantagens. Se você está em dúvida, eu recomendo essa leitura.

Gostaria de lembrar a todos que leem nosso blog que estamos sempre abertas a sugestões de temas ou até mesmo sobre o funcionamento do blog. Compartilhem também suas dúvidas e não tenha medo de dividir suas histórias. Até mais!

Beijinhos,

Marca Sabryna

E se eu não quiser cachear?

O-estilo-dos-cabelos-lisos-e-encaracolados

Ultimamente, ou melhor, desde que comecei a entrar nesse mundo de transição capilar e voltei a usar meu cabelo cacheado, eu tenho observado situações e procurado ver a coisa toda de vários ângulos. Quando eu decidi parar de usar química eu não contei pra quase ninguém, não que fosse um segredo, claro, mas eu só comentava se alguém introduzisse o assunto alisamento ou notasse a minha “raiz alta” rs. Geralmente as pessoas tinham duas reações: ou elas diziam o quanto isso era legal, bacana, supimpa, ou elas diziam o quanto eu era corajosa por fazer algo que elas não tinham coragem. Raramente alguém chegava ao ponto da sinceridade de dizer: “Não vai ser fácil, teu cabelo vai ficar acabado, mas depois vai dar muito certo”. E uma, só umazinha disse o clássico “Tu não vai conseguir”.

Mas eu consegui. Passei perrengues e mais perrengues, vontades e mais vontades de desistir, mas tô aqui, com dois meses e meio de BC e descobrindo um cabelo novo.

Pois bem, bela história pra se contar, e quem acompanha o blog sabe que eu já contei  várias vezes sobre como foi a minha transição capilar e etc etc etc. Mas hoje o assunto que eu quero falar é sobre o processo inverso: E se eu quiser alisar?

Não, não eu literalmente, mas qualquer garota/mulher que está sentindo o boom das cacheadas ao seu redor e, por vezes, aqueles olhares tortos sobre alguém que continua passando a chapinha no cabelo.

Tenho observado que da mesma forma que sofremos uma pressão (falando de forma bastante generalizada e superficial) para alisar o cabelo, as alisadas hoje sofrem para entrar em transição capilar e voltar a ter sua cabeleira natural.

Ué, mas a ideia não era se desvencilhar das amarras?

Ser do time das alisadas e não querer se cachear tem sido motivo de comentários tão constrangedores quanto os que eram dados para as cacheadas que não queriam se alisar. E não estou especulando, talvez vocês ainda não tenham presenciado cenas como esta, mas eu já, várias vezes. Então pensem comigo: imagine alguém que nasceu de cabelo cacheado e ouviu durante um bom tempo que ele precisava de um “jeito”, e esse jeito era a química, depois de anos ouve de volta que PRECISA assumir o cabelo natural. Buguei?

Aí vocês respondem: mas sabryna, todas temos que nos aceitar como viemos ao mundo, e deixar de viver um padrão e…

Oooou: mas sabryna, todas podemos fazer o que quiser, não devemos seguir o que socidade manda, somos donas de nossas próprias vontades e…

Enfim, essas coisas.

Agora pensem de novo: imagine alguém que já alisou, já deixou de alisar, e já voltou a usar o cabelo natural, comentar por alto: “estou meio a fim de alisar o cabelo” e ouvir gritos eufóricos dizendo “nãaaaao” “não acredito que vai fazer isso” “que loucura” “mas teu cabelo está tão lindo assim”. Um ponto importante passa despercebeido: nem sempre está lindo para ela como está para nós. Vontades vem e vão e desejos de mudança também.

O ponto que quero chegar é esse: nós, que já passamos pela transição capilar, temos que tomar cuidado para não sermos as mesmas pessoas que nos pressionaram aos alisamentos quando tudo começou. Não sermos as mesmas bocas nervosas que se coçam ao ver um cabelo com química e dizer: “Você TEM que deixar isso de lado” “Você TEM que assumir seus cachos” “Você TEM que parar de usar chapinha” “Você TEM que”. Odiávamos isso, lembram? Odiávamos que nos dissessem o que fazer. Odiávamos quando diziam que nosso cabelo era feio do jeito que estava.

Não precisamos obrigar – com discursos prontos e frases clichês – ninguém a alisar, ninguém a cachear. Um cabelo com química pode estar maltratado pela química da mesma forma que um cacheado pode estar maltratado por um ressecamento. Um cabelo alisado pode estar saudável e hidratado da mesma forma que um cacheado pode ser maravilhoso com Low Poo. Inclusive não obriguem ninguém a aderir ao Low e No Poo também. Sabemos o quanto essa técnica é maravilhosa, mas nem todo mundo está disposto a decorar compostos liberados e proibidos. Usamos shampoo com sulfato a vida inteira e nosso cabelo ainda está na cabeça.

O objetivo desse textão não é criar polêmica e muito menos ser incoerente (se tenho um blog para cachos por que falar de alisamento??), mas convidar para uma reflexão que eu tenho feito desde que entrei nesse mundo crespo. Se alguém lhe parabenizar pelo sucesso da transição, sorria e diga “Obrigada!”, segure a vontade de dizer “Faz também!”. Se alguém lhe perguntar o que você fez para ficar assim, responda gentilmente (e indique o blog, please!! Haha), e resista ao ímpeto de dizer que chapinha acaaaaba o cabelo.

Cada mulher sabe a dor e a delícia de ter o cabelo que tem.

Nós cacheadas devemos ser um time que acolhe quem quer se aprochegar, e não fiscais que obrigam alisadas a se alistarem.

Em terra de chapinha quem tem cachos é rainha.

Em terra de cacheada quem quer alisar não precisa perder o trono.

Marca Sabryna