A História do meu Cabelo: transição e volta aos cachos!

Olá! Meu nome é Patrícia França, tenho 24 anos, sou de São Luís, Maranhão. Hoje inauguro com alegria esse blog tão planejado e desejado por mim e pela Sabryna, minha companheira de blog. Aqui vamos compartilhar nossas experiências com cabelo e também outros hobbies nossos e de muitos de vocês.

Nesse post, com muito prazer,  vim contar um pouco da história do meu cabelo, das mudanças que ele passou ao longo dos anos, principalmente na dura batalha para voltar aos cachos depois de muito tempo de química. É a história de muitas meninas que passam pela transição, então espero que motive muitas a continuar ou começar essa linda trajetória.

O começo de tudo, a infância, é muito parecida com a de muitas meninas de cabelos cacheados. Minha mãe tem cabelo liso e não soube cuidar do meu. Sempre vivia com os cabelos amarrados bem apertados e quando acordava de manhã só era possível domar molhando e colocando mais creme. Nesse processo, eu não aprendi a cuidar do meu cabelo e passei a não gostar dele. Na minha família, na escola, não convivi com pessoas de cabelo cacheado, então me achava diferente e feia. Os cachos não definiam e ficava uma coisa áspera, sem forma. Só se formavam quando minha mãe fazia esses penteados, enrolando cada cachinho, haha.

 

patrc3adcia-franc3a7a-1-nic3b1a

 

patrc3adcia-franc3a7a-2-nic3b1a (1)

 

Quando já era adolescente, passei a usar alguns alisamentos caseiros, aqueles “é só pra baixar o volume”. Isso já modificou a forma do meu cacho. Só aos 15 anos decidi optar pelo alisamento definitivo no salão. O cabeleireiro da minha mãe, que cuidava do meu também, fez o procedimento, mas ainda apoiava que eu cuidasse dos meus cachos (para os de São Luís que conhecem, o querido Sérgio Marrom <3 ). Ele acabou alisando porque achava que naquela idade eu ainda não teria o cuidado que o cabelo cacheado exigia. Mas sempre me incentivou a voltar aos cachos!

 

patrc3adcia-franc3a7a-5-liso

patrc3adcia-franc3a7a-4-liso

patrc3adcia-franc3a7a-3-liso

 

Assim, passei muitos anos me submetendo à química. E como meu cabelo crescia muito rápido e a raiz ficava logo evidente, voltava em poucos meses para retocar. Eu sempre usava o cabelo liso, comprido, corte reto. As pontas eram muito ressecadas. Então, passei a me incomodar e perceber que meu cabelo não era saudável e minha aparência era sempre a mesma com o cabelo alisado. Daí comecei a desejar ter o cabelo natural de novo.

Nesse tempo que comecei a ter essa ideia, ainda não era comum como tem sido hoje, essa febre das meninas quererem voltar ao cabelo cacheado, muitas em transição, várias dica na internet, até mesmo nos programas de televisão. Eu nem sabia o que era transição. Eu não tinha noção do que tinha que fazer, por isso, algumas vezes desisti e me rendi à química de novo. Em 2013, finalmente, decidi definitivamente deixar os cachos voltarem. Tive apoio de Marrom que não me incitou a alisar e me fez acreditar que meus cachos voltariam bem bonitos, o que eu não acreditava na época. Minha família e pessoas mais próximas também me apoiaram, o que eu considero fundamental, já que a fase de transição não é fácil. Você sente muita dificuldade de se aceitar com o cabelo indefinido, as vezes a autoestima cai, tem receio de como vai ficar depois que terminar a transição e vive com a tentação constante de voltar para a “facilidade” que é manter o cabelo alisado.

Eu não optei pelo big chop, nem sabia o que era isso (cortar de vez a parte alisada), eu cortei o cabelo bem curto e depois tirei as pontas. Raramente usava chapinha, o que foi ótimo pro meu cabelo. Só depois de algum tempo transição, descobri que poderia tomar alguns cuidados, o principal deles foi o Cronograma Capilar que comecei a fazer e foi muito importante para definir meus cachos e ajudar no crescimento. Fiz por um bom tempo e fui cortando as pontas lisas até ficar com o cabelo todo natural. No final de 2013 cortei as últimas pontas lisas.

 

patrc3adcia-franc3a7a-6-liso-corto

018

019

 

Daí começou uma nova fase: aprender a cuidar do novo tipo de cabelo. No começo, ainda não sabia muito bem como cuidar e não tinha muita definição, mas ainda assim já era apaixonada e muito feliz pela decisão de abandonar a química. Quando passei a ter o costume de procurar dicas na internet e aprendi técnicas como a fitagem, entendi a necessidade de hidratar sempre e outras coisas, é que meu cabelo foi mudando cada dia mais. Acredito que cabelo é isso, principalmente o cacheado, aprender a amar e a cuidar e ir conhecendo as diversas possibilidades que ele pode oferecer: um dia mais volume que o outro, mais definição ou não, um jeito diferente de finalizar, enfim, um mundo de descobertas.

 

patrc3adcia-franc3a7a-8-rizado-sin-definicic3b3n

 

Iniciar a técnica do Low Poo (vamos explicar em breve aqui!) foi uma destas descobertas que mudou muito minha rotina de cuidados e ajudou na definição e hidratação do meu cabelo, especialmente depois de que decidi fazer luzes. Essa foi outra etapa totalmente nova para mim, que nunca tinha pintado o cabelo e, sendo cacheado, os cuidados são redobrados.

 

003

002
Fotos: Thássya Silva. Instagram: @thassyasfotografia

IMG_0343[1]

 

Quando me perguntam sobre o meu cabelo, principalmente quem me conheceu de cabelo liso, eu sempre digo que foi uma das melhores decisões da minha vida abandonar a química. Mas também falo a verdade: cabelo cacheado dá trabalho. Você precisa amar e se dedicar. Apesar disso, vale a pena cada hora gasta lavando, hidratando e finalizando se você se sente bem e feliz com seu cabelo. E é assim que eu me sinto: leve, livre e sendo eu mesma. Acredito que quando a gente aprende a se amar, sente mais prazer em se cuidar e entende que todo cabelo tem imperfeições. Jamais busque cachos perfeitos, entenda as fases, viva cada fase do seu cabelo.

A transição passa, o cabelo que hoje não está muito legal, amanhã pode acordar lindo e o melhor de tudo: existe um mundo de possibilidades! Para mim, isso é o melhor do cabelo cacheado, isso me dá uma sensação de liberdade única. E essa é a mensagem que eu gostaria de deixar, espero que minha história possa inspirar mais e mais meninas a entrarem também nessa jornada linda e acreditem cada vez mais na beleza de cada uma de vocês e no que podemos fazer ao nos aceitarmos como realmente somos.

No blog pretendo detalhar essa história, contar meus cuidados e o que aprendi nesse tempo. Se tiverem dúvidas, curiosidades, é só comentar. Vai ser uma prazer ter a companhia de vocês nesse papo.

Beijos e até a próxima!

Paty França

19 comentários em “A História do meu Cabelo: transição e volta aos cachos!

  1. Olá Paty, tô dando pulinhos de felicidades (lol)… que bom ter uma conterrânea e gente a vi pequena (abafa) com os mesmos dilemas e compartilhando mais que dicas, mas a aceitação e atitude de ser feliz.

  2. Passei por esse mesmo processo! Foram 8 anos fazendo química no cabelo e quando decidi abandonar sofri muito! A raiz começou a crescer e a sensação que eu tinha era de que eu estava horrorosa! Nada adiantava, chapinha pra disfarçar, rabo de cavalo…. Então assim como vc eu tbm não sabia o que era transição e acabei de aprender sobre o big chop rsrsrsrsrEu fiz por conta própria sem nem saber o que era! Fui no cabeleireiro e mandei “arrancar fora” o resto dos cabelo kkkkkkkkk Mas foi a melhor coisa da minha vida! hoje meu cabelo tem vida! Pena que não conseguia me achar bonita com o meu cabelo na adolescencia! teria poupado muito dinheiro kkkkkkkk

  3. Paty, amei seu blog com várias dicas para cabelos cacheados. Vou tb aderir esses processos para que os meus cachinhos fiquem mais definidos. A única diferença do meu é que nem usava alisantes…
    Vc está de parabéns!
    Beijinho
    P.S: Seus cachinhos ficaram lindos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected by WP Anti Spam